• A+
  • A-

Artigo - Jornal O Povo - Quedas na Terceira Idade

Image
25/07/19
1409

Artigo - Jornal O Povo - Quedas na Terceira Idade

Quedas nos idosos, mais que na população geral, podem causar impactos negativos importantes na vida desses indivíduos, como incapacidade funcional e perda de autonomia. Fraturas e lesões neurológicas também podem ser consequências diretas das quedas e podem levar o idoso até a falecer, em decorrência do evento e de suas complicações. O envelhecimento, por si só, pode ser acompanhado de instabilidade postural, resultante de problemas que podem estar presentes em um ou mais dos sistemas que compõem o organismo humano. Sedentarismo, doenças osteoarticulares como a osteoartrose, diminuição da visão e audição, doenças neurológicas como Parkinson, uso de medicamentos inapropriados, e doenças cardiovasculares, podem ser fatores de risco, chamados intrínsecos, para a ocorrência de quedas. Também podem estar associados com as quedas, fatores relacionados às circunstâncias sociais e ambientais, que se tornam desafiadores para os idosos, como: iluminação inadequada, piso escorregadio, móveis em locais inapropriados, tapetes soltos, degraus altos, banheiros sem adaptações, prateleiras muito baixas ou muito elevadas, camas altas, calçados inadequados, vias públicas mal conservadas.

O local mais comum onde acontecem as quedas de indivíduos da terceira idade é o próprio lar, e as principais causas estão relacionadas com o ambiente físico. As consequências diretas mais frequentes são as fraturas e, em geral, após a queda, os idosos apresentam medo de voltar a cair e de tudo o que está relacionado, como hospitalização, imobilização, dependência e declínio da saúde.

A prática de atividade física, ao contrário do que se pode imaginar, está associada a uma menor incidência de quedas, já que se relaciona com uma melhor condição de saúde. Também ajuda na prevenção, controle e tratamento de doenças consideradas fatores intrínsecos para quedas, como por exemplo AVC, hipertensão, artrite e insuficiência cardíaca. Cuidar da saúde do senescente e cuidar do local onde vive, portanto, são as melhores formas de prevenir a ocorrência de quedas. Observar e corrigir cadeiras, camas, calçados, tapetes, objetos espalhados pela casa, pisos, presença de corrimão, disposição do banheiro e iluminação podem fazer toda a diferença. Procurar um médico habilitado que possa trabalhar prevenção e tratamento de patologias relacionadas com as quedas também é fundamental para garantir o bem-estar do indivíduo idoso.

COMPARTILHAR NO FACEBOOK