• A+
  • A-

Por uma velhice positiva

Image
11/07/19
915

Por uma velhice positiva

Por uma velhice positiva

 

Shakespeare  referiu-se  à  velhice  como  uma  segunda  infância:  “sem  olhos ,  sem  dentes,  sem  nada”.  Muito antes, Sêneca considerava a   velhice como  uma  doença. De certo o envelhecimento traz  consigo doenças osteoarticulares causadoras de dores ou dificuldades para se movimentar. São múltiplos os fatores envolvidos: Desgaste das articulações, acidentes e traumas, Sobrecarga corporal, incongruências ou  deficiências osteomusculares. Em geral, Tais fatores comprometem a qualidade de vida das pessoas e prejudicam a realização de tarefas simples do dia a dia. É certo que a medicina moderna vem nos levando a melhor compreender esse período de vida e nos fazendo a ver como uma fase de vida que requer tratamento e prevenção. A cartilagem é um tecido que reveste as articulações do corpo e tem a função básica de absorver e melhor distribuir as cargas aplicadas. Algumas doenças ou mesmo os traumas repetidos podem levar a seu comprometimento causar muita dor e incapacidade funcional, é a conhecida e temida artrose. Infelizmente, a cartilagem articular lesada tem baixíssimo potencial de cicatrização. Uma vez lesada as possibilidades de recuperação plena são pequenas. O tratamento  visa o alívio total da dor e a recuperação dos movimentos.

No estágio inicial da artrose, o tratamento é geralmente conservador. Medicamentos, fisioterapia, alongamento e fortalecimento da musculatura, perda de peso e mudança nos hábitos de vida. Nos estágio graves da doença, Os tratamentos oferecem procedimentos cada vez menos agressivos e com menor riscos. Mesmo as temidas substituições articulares por próteses, mostram avanços significativos com uma melhor qualidade dos materiais e implantes e um aperfeiçoamento da técnica , tem levado a sobrevida de uma prótese a chegar a 20 ou 25 anos.

Sem duvidas com o aumento da longevidade, se faz necessário estarmos atentos no combate aos efeitos da senescência e um efetivo diagnóstico e correto manejo das afecções, são essenciais na busca de melhores resultados. Modernamente a ortopedia e a chamada medicina regenerativa, tem avançado muito nessa área e conta com um vasto arsenal de tratamentos. Assim a separação  das  doenças dos  processos  íntimos  do   envelhecimento  parece  ser  cada   vez  mais real e factível. Se quisermos que o envelhecimento seja uma experiência positiva, cuidemos de nossa saúde !

COMPARTILHAR NO FACEBOOK